Eu tenho que aprovar a cessão da minha dívida?

Cessão de dívida

Já vimos muitos casos em que o consumidor diz que devia ao banco x, mas quem o está cobrando agora é uma empresa de aquisição de crédito. Essas empresas são conhecidas como Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios – FIDC e isso ocorre porque houve uma cessão de dívida, ou, pode-se dizer, uma cessão de crédito.

Pela cessão de crédito o credor original (alguma instituição financeira, prestadores de serviços, loja de varejo, concessionárias de serviços públicos ou privados ou empresas de telefonia) transfere a terceiro seus direitos sobre o crédito. Assim, a cessão de crédito consiste na aquisição, pelo cessionário, de contratos (débitos) incialmente formalizados entre o consumidor e o cedente (credor originário do débito). Continue reading…

Bancos privados preveem novas altas das taxas de juros no Brasil

Bancos privados preveem novas altas das taxas de juros no Brasil

O Banco Central do Brasil endurecerá a política econômica e até o final do ano, elevará as taxas de juros até 9,75%, segundo previsões de analistas do mercado privado.

Os economistas dos bancos privados elevaram o cálculo da taxa oficial de juros em 0,25%, segundo o Boletim Focus, uma publicação semanal elaborada pelo Banco Central com perguntas aos economistas de bancos privados.

O Banco Central realizou quatro altas consecutivas nos juros, que atualmente estão em 9%, em uma tentativa de controlar a inflação. Continue reading…

Especial: renegociação de dívida

Renegociação de dívida

Atendendo a pedidos, irei postar perguntas e respostas sobre renegociação de dívida. Espero que a dúvida dos nossos internautas ajudem outros consumidores!

Se os juros caírem, posso pedir ao credor para renegociar minha dívida? Na teoria, sim. Mas o banco não é obrigado a baixar os juros do contrato que já foi assinado. Diante da redução dos juros, o consumidor também pode, caso encontre taxas mais baixas em outro banco, pedir a portabilidade da dívida, que é a transferência sem pagamento de tarifa.

Uma empresa de cobrança me ligou dizendo que “comprou” uma dívida que eu tinha com um banco. Isso é legal? O procedimento é legal e regulado pelo Banco Central. Mas é importante Continue reading…

Pagar aluguel x Financiar um imóvel

Aluguel_vs_Financiar Imovel

Hoje as pessoas de baixa renda têm muitas opções de financiamentos subsidiados, com juros menores e que podem fazer o sonho da casa própria tornar-se realidade. Programas do Sistema Financeiro da Habitação – SFH e Minha Casa Minha Vida são opções vantajosas.

Normalmente a proporção percentual do aluguel sobre o valor do imóvel de baixo valor costuma ser mais alta que o percentual sobre imóveis de valores maiores, o que torna muito alto o valor do aluguel proporcional ao valor do imóvel para as pessoas de baixa renda.

Procure fazer uma poupança prévia para poder dar uma boa entrada e financie o menos possível. Continue reading…

Crédito Consciente

cartao_credito_2

Uso inteligente do cartão de crédito

Controlar o orçamento doméstico é um desafio. Muitas vezes, o responsável pelas dívidas da família e grande vilão da conta bancária é o cartão de crédito.

O pior problema surge quando o consumidor, por necessidade ou por falta de conhecimento, passa a utilizar o crédito disponibilizado no cartão como se fosse parte de seus rendimentos, atrasando o pagamento ou pagando somente o valor mínimo da fatura de gastos. Continue reading…

Qual a diferença entre restrição interna e SPC

28 - 29-05-2012 - Tema 4 - Diferenca entre restricao interna e spc

É muito comum as pessoas relacionarem a restrição interna com os órgãos de proteção ao crédito, mas a restrição interna consiste em um impedimento somente perante aquela determinada instituição financeira ou empresa em que o consumidor manteve a inadimplência. Portanto, não se trata de uma informação pública. Já nos órgãos de proteção ao crédito são informações que podem ser consultadas por terceiros interessados, funcionando como obstáculos para devedores que não estejam em dia com suas obrigações.

 

O que são juros abusivos?

26 - 25-05-2012 - Tema 3 - Juros abusivos

Todo mundo já ouviu falar em juros abusivos. Bom nem todo mundo, mas com certeza você já. Mas se te perguntarem o que é, você sabe explicar? Nem nós, porque não há um conceito único e indiscutível. Mas de maneira geral, juros abusivos são os que colocam o consumidor em desvantagem exagerada. E desvantagem exagerada, segundo o Código de Defesa do Consumidor, ocorre quando o contrato é excessivamente oneroso.

Continue reading…

Quitação da dívida – Quais os benefícios?

24 - 23-05-2012 - Tema 1 - Quitação de Divida

“Quitação da Dívida”, essas três palavras trazem uma tranquilidade enorme para muitas pessoas.  Isso ocorre principalmente porque, após quitar a dívida, o consumidor tem a satisfação de poder desfrutar novamente das linhas de crédito oferecidas pelo mercado. Mas é importante lembrar que quanto antes o devedor regularizar sua pendência, melhores serão as condições oferecidas, além de potencializar suas condições de crédito no mercado, através de uma melhor pontuação (Score) junto aos Órgãos de Proteção ao Crédito.

Continue reading…

Em relação aos juros, é vantagem ter os créditos cedidos?

21 - 18-05-2012 - Tema 3 - Vantagem de ter a divida cedida

É comum a gente escutar a frase: prefiro ser cobrado pelo banco, e não por uma empresa que diz que comprou minha dívida. Mas, na verdade, é muito mais vantajoso para o consumidor quando a dívida é cobrada por uma dessas empresas. Calma, vamos explicar: os juros aplicados por uma empresa de aquisição de crédito são substancialmente menores daqueles praticados no mercado financeiro na concessão de crédito. Como explicado anteriormente, geralmente a taxa de juros bancários é entre 2% e 5% podendo até ser de 11% ao mês, além de outras taxas/impostos, como IOF por exemplo.

Continue reading…

Como é informada a questão da cessão da dívida aos órgãos de proteção ao crédito

17 - 14-05-2012 - Tema 4 - como e informada questao da cessao de divida aos orgao de proteção

Entenda agora como a cessão da dívida é informada aos órgãos de proteção ao crédito.

O que ocorre é que, após a cessão, o cedente (quem cedeu a dívida) solicita a baixa das restrições em relação aos contratos cedidos, de tal modo que não irão constar restrições pelo cedente. O cessionário (quem comprou a dívida), por sua vez, encaminha um documento aos órgãos de proteção ao crédito contendo o nome, CPF e o novo número de contrato, solicitando que as informações sejam divulgadas.

Na segunda-feira falaremos sobre Dicas de Crédito Consciente